Saiba como classificar dados e informações para determinar quem poderá acessá-las, o que garante organização e segurança a todas as empresas!

Sua empresa pode ser média, pequena ou até mesmo micro, mas precisa pensar de maneira estruturada e grande quando se trata da segurança das informações. Isso é especialmente importante quando se lida com os dados de outras pessoas, sejam elas clientes, fornecedores ou parcerias de negócio.

Se pensarmos bem, qualquer empresa manipula muitos dados diariamente, tanto de forma estruturada quanto descentralizada: é só pensar na quantidade de informações trocadas por aplicativos de conversa, e-mail, notas fiscais de produtos e tantos outros meios – físicos e digitais.

Dentro desse universo, algumas informações são consideradas mais confidenciais do que outras, como dados pessoais de terceiros. E aí o assunto fica ainda mais sério.

Navegue pelo índice

    Lei Geral de Proteção de Dados

    A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) chamou as empresas à responsabilidade sobre como lidar com as informações em domínio delas, mostrando que esse é um assunto que merece toda atenção e cuidado. Mas por onde começar?

    Hoje, falaremos sobre a Classificação de Informação e como manter esses dados em segurança. Esse artigo serve para quem ainda está se familiarizando com esse assunto ou para quem deseja revisar seus conceitos.

    Veja as melhores ofertas para comprar o domínio do seu site!

    O que é e para que serve a classificação?

    A classificação das informações tem como principal finalidade identificar as características essenciais do dado, como a sua categoria, o impacto dele para os negócios e qual o seu nível de sigilo, entre outros. Ao classificar as informações o gerenciamento delas é mais claro, o que ajuda a entender a melhor forma de protegê-las.

    Nesse ponto, já se consegue enxergar por quem, quando e onde as informações poderão ser acessadas. A determinação de quais logins poderão acessar informações específicas chama-se gestão de privilégios. Um exemplo fácil para entender: quem trabalha na recepção não deve ter acesso às informações de recursos humanos.

    Por sua vez, a área de recursos humanos não precisa ter acesso às informações de compras. E assim por diante. O gerenciamento de privilégios garante que cada profissional só tenha acesso aos dados inerentes ao desempenho da sua função.

    Como é feita a gestão de privilégios?

    Primeiramente, as pessoas que lidam com as informações dentro de uma empresa devem estar conscientes sobre a importância do sigilo sobre os dados que elas manipulam. Qualquer que seja o porte do negócio, a segurança de dados deve fazer parte da cultura corporativa.

    A gestão dos privilégios sobre as informações depende um pouco de como cada negócio é administrado. Em microempresas, as informações podem ser classificadas e separadas por pastas. Nesse caso, é possível determinar os logins de acesso em cada uma delas. 

    Há também aplicativos e outras soluções tecnológicas que trabalham os privilégios de maneira mais sofisticada. Nesse caso, os próprios documentos recebem suas classificações de confidencialidade e a indicação de quais logins podem acessá-lo.

    Alguns documentos têm até a impressão restringida com base no privilégio do acesso. Essas são maneiras de impedir o compartilhamento massivo de informações, mas existem outras.

    Quais são os níveis de classificação das informações?

    A maior parte das empresas tem algum modelo de classificação das informações que pode variar um pouco sobre os nomes atribuídos, mas em essência temos as informações: públicas, internas, restritas e confidenciais.

    Informações Públicas

    Esse tipo de informação é de conhecimento público. Informações disponíveis no site de uma empresa entram nessa classificação, por exemplo.

    Nesse caso, essas informações dependerão apenas da segurança do próprio site para garantir sua disponibilidade e integridade contra invasores ou outro tipo de cibercriminosos. Uma forma de garantir a proteção do site contra invasores é obter um Certificado de Segurança SSL.

    Informações Internas

    Informações de uso interno não são públicas, mas são de acesso a todas as pessoas que trabalham na empresa. Mesmo tendo um nível baixo de sensibilidade, há a responsabilidade de zelar pela integridade dos dados, evitando que sejam distorcidas, utilizadas em benefício particular ou coisas do tipo.

    Geralmente, o sigilo sobre as informações manipuladas no ambiente do trabalho está sob cláusulas contratuais de admissão, inclusive as informações de uso interno.

    Informações restritas

    Informações estratégicas, como o roadmap de um produto ou balanço financeiro, devem ser acessadas somente por pessoas diretamente envolvidas com os assuntos.

    Elas podem prejudicar o negócio caso sejam divulgadas para a concorrência ou para o mercado de atuação. São classificadas como informações de nível médio de confidencialidade.

    Informações confidenciais

    São informações de nível máximo de segurança. Caso sejam divulgadas dentro ou fora da empresa, podem trazer problema sérios, como prejuízos financeiros, danos à reputação e complicações jurídicas, entre outros. Nesse caso, o ideal é que recebam várias camadas de proteção, incluindo criptografia de dados.

    Tecnologia de criptografia do SSL

    O protocolo de segurança SSL (Secure Sockets Layer) é amplamente utilizado para realizar a criptografia dos dados trafegados em conexões de rede, desde o servidor até o dispositivo da pessoa – seja smartphone, laptop ou tablet.

    Embora o SSL tenha sido substituído pelo protocolo TLS (Transport Layer Security), a sigla ainda é utilizada para se referir ao protocolo de criptografia das transmissões digitais. Em alguns lugares, vamos encontrar nomeado como SSL/TLS.

    Diante de tamanha importância do certificado SSL/TLS para transmissões digitais, é importante entender como instalar o certificado. Em cada fornecedor, esse processo é diferente – e na Locaweb é bem fácil.

    Aqui, o login principal pode administrar tudo em um painel de gestão e, se a Hospedagem de Sites também estiver conosco, em poucos cliques é possível emitir o certificado e garantir a segurança do site.

    Mais segurança com o certificado SSL

    A Locaweb oferece opções de certificados SSL e pode ajudar você na configuração do seu site. Além disso, na contratação de um serviço de hospedagem ou de um servidor dedicado conosco, você pode optar por incluir um certificado SSL em sua assinatura. 

    O certificado digital SSL Locaweb é uma ferramenta de simples configuração, com painel próprio, fornecida pela Global Sign, uma das maiores entidades de certificação para domínios em todo o mundo.