O MySQL foi lançado em 1995 e se tornou uma das opções mais populares de armazenamento, organização e recuperação de dados.

O MySQL foi desenvolvido por Michael Widenius e David Axmark e lançado pela primeira vez em 1995. Desde então, tornou-se amplamente utilizado em aplicativos da web, sendo uma das opções mais escolhidas para o armazenamento, organização e recuperação de dados. Atualmente, o software é propriedade da Oracle. 

A ferramenta é capaz de lidar com grandes volumes de dados e suportar um alto número de conexões simultâneas. Ele oferece recursos avançados de escalabilidade e desempenho, o que o torna adequado para aplicações com alto tráfego e necessidades robustas de processamento de dados. 

Devido à sua flexibilidade, desempenho e ampla adoção, o MySQL está presente em uma variedade de aplicações, desde pequenos sites até grandes sistemas corporativos. Ele é particularmente utilizado no desenvolvimento de aplicativos web e está presente em muitos frameworks e plataformas populares

O que é o MySQL? 

O MySQL foi adquirido pela Oracle por US$ 1 bilhão em 2008
O MySQL foi adquirido pela Oracle por US$ 1 bilhão em 2008. (Fonte: Getty Imagens/Reprodução) 

O MySQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados relacional de código aberto. O software funciona em um modelo de arquitetura, permitindo dessa forma que múltiplos clientes se conectem ao servidor e acessem e manipulem os dados armazenados nos bancos de dados. Os dados são organizados em tabelas compostas de linhas e colunas. 

A partir da linguagem de consulta estruturada (SQL), é possível realizar operações de criação, modificação e consulta de dados. A ferramenta fornece uma ampla gama de recursos e funcionalidades, incluindo suporte a transações, indexação eficiente, controle de acesso e segurança dos dados. 

Além disso, o MySQL é conhecido por sua estabilidade, confiabilidade e facilidade de uso. Ele conta com uma grande comunidade de desenvolvedores e usuários em todo o mundo, o que contribui para seu contínuo aprimoramento e suporte. 

Para que o MySQL serve? 

O MySQL serve para armazenar, organizar e recuperar informações de forma eficiente. Ele é utilizado em uma ampla variedade de aplicativos e cenários, como por exemplo: 

  • Desenvolvimento de aplicativos web — o MySQL é uma escolha popular para sites, blogs, lojas online e sistemas de gerenciamento de conteúdo (CMS).

  • Sistemas corporativos — muitas empresas usam o MySQL para gerenciar seus dados internos, como informações de funcionários, clientes, inventários, registros de transações e outros dados empresariais. 

  • Aplicativos móveis — no desenvolvimento de apps, os dados são armazenados e sincronizados com servidores MySQL, garantido o acesso e a atualização de informações em tempo real. 

  • Data warehousing — em ambientes onde grandes volumes de dados são armazenados, organizados e analisados, o software pode ser usado em conjunto com ferramentas de análise de dados para executar consultas complexas e gerar insights de negócios. 

  • Sistemas de gerenciamento de conteúdoWordPress, Joomla e Drupal, usam o MySQL como banco de dados subjacente, pois ele fornece uma estrutura robusta e escalável para armazenar e recuperar o conteúdo do site. 

  • Aplicações embarcadas — o MySQL é usado em sistemas embarcados, onde os dados são armazenados e acessados por dispositivos incorporados, como roteadores, sistemas de automação residencial e dispositivos de Internet das Coisas (IoT). 

Como funciona o MySQL? 

O MySQL opera em um modelo cliente/servidor, com muitas funcionalidades e recursos avançados, como por exemplo indexação, controle de acesso, replicação e segurança, que garantem a integridade e o desempenho dos dados. 

Conheça em seguida os elementos básicos de funcionamento do MySQL. 

Cliente MySQL 

O cliente é o aplicativo que se conecta ao servidor MySQL para enviar comandos e receber resultados. Pode ser uma aplicação web, um aplicativo móvel ou até mesmo uma ferramenta de linha de comando. 

Servidor MySQL 

O servidor é responsável por gerenciar os bancos de dados e processar as solicitações enviadas pelos clientes. Ele é instalado e executado em um servidor dedicado e fica constantemente ouvindo por conexões de clientes. 

Conexão com o servidor 

O cliente MySQL estabelece uma conexão com o servidor MySQL usando o nome do host, o número da porta, o nome de usuário e a senha adequados. Essas informações de conexão são fornecidas pelo cliente no momento da solicitação. 

Processamento de comandos 

Após a conexão ser estabelecida, o cliente MySQL pode enviar comandos SQL para o servidor, que podem ser usados para criar e excluir bancos de dados e tabelas, inserir dados, recuperar informações e atualizar registros. 

Processamento de consultas 

Quando o servidor MySQL recebe uma consulta, ele executa uma série de etapas para processar a solicitação: 

  1. Análise sintática — o servidor verifica a sintaxe da consulta para garantir que ela esteja correta. 
  1. Otimização — determina a melhor estratégia de execução para a consulta, considerando índices, estatísticas e outras informações relevantes. 
  1. Execução — o servidor executa a consulta e recupera os dados solicitados da tabela. 
  1. Envio de resultados — os resultados são enviados de volta para o cliente MySQL. 
  1. Gerenciamento de transações — o MySQL suporta transações, que são unidades lógicas de trabalho que podem consistir em várias operações de banco de dados. As transações garantem a integridade dos dados e a consistência em operações complexas, permitindo que as alterações sejam confirmadas (commit) ou desfeitas (rollback). 
  1. Armazenamento de dados — armazena os dados em arquivos físicos no servidor. Os dados são organizados em bancos de dados, que podem conter várias tabelas, sendo que cada tabela é composta de colunas (campos) e linhas (registros). 

Quais são as vantagens de usar o MySQL? 

O MySQL é um software de código aberto distribuído sob a licença General Public License (GPL). Isso significa que o usuário pode usá-lo gratuitamente, modificá-lo e distribuí-lo sem custos adicionais. A natureza de código aberto também proporciona transparência e flexibilidade para personalizar e adaptar a ferramenta às necessidades específicas. 

A solução oferece recursos avançados de escalabilidade, permitindo adicionar mais recursos a um servidor ou usar clusters e replicação. O MySQL tem uma capacidade de lidar com cargas de trabalho intensivas, podendo processar um alto volume de transações e conexões simultâneas. 

Por ser um dos sistemas de gerenciamento de bancos de dados mais adotados do mundo, existe uma vasta comunidade de usuários e desenvolvedores oferecendo suporte, recursos, exemplos e soluções para ajudar na resolução de problemas e no aprendizado contínuo. 

Outro destaque da solução é a compatibilidade com vários sistemas operacionais, incluindo Windows, Linux e macOS. Além disso, o software oferece drivers e APIs, permitindo a integração com várias linguagens de programação, como PHP, Python, Java e .NET. 

Leia também

Como começar a usar o MySQL? 

O MySQL é usado por meio de comandos no prompt da ferramenta
O MySQL é usado por meio de comandos no prompt da ferramenta. (Fonte: Getty Images/Reprodução) 

Com uma interface intuitiva e amigável, o MySQL é fácil de instalar, configurar e usar. Ele conta com uma interface intuitiva e amigável, facilitando a criação de bancos de dados, tabelas e consultas. A sua compatibilidade com a linguagem SQL padrão facilita a migração de outros sistemas de banco de dados ou a integração com outras tecnologias. 

Veja os principais passos para começar a usar o MySQL. 

1. Instalação 

No Windows, o MySQL é instalado a partir do download do software em seu site oficial. Um assistente de instalação conduz todo o processo, oferecendo a escolha dos componentes, entre outras configurações. 

No macOS, o servidor MySQL pode ser iniciado pelo Homebrew, por meio do comando: 

brew services start mysql 

No sistema operacional Ubuntu, que é uma distribuição Linux, é necessário executar os seguintes comandos para atualizar os repositórios de pacotes e instalar o MySQL: 

 sudo apt update 

sudo apt install mysql-server 

Durante a instalação, o usuário precisará definir uma senha para o usuário root. Após a conclusão do processo, o servidor MySQL estará em execução no sistema. 

2. Criação de banco de dados 

Para criar um banco de dados, abra um cliente MySQL, como o MySQL Command-Line Client, MySQL Workbench, conecte-se ao servidor MySQL usando suas credenciais. (nome de usuário e senha). Após o login, execute o seguinte comando no prompt do MySQL: 

CREATE DATABASE meu_banco_de_dados; 

Após executar o comando, o banco de dados será criado e pode ser verificado com o comando “SHOW DATABASES;”, que lista todos os bancos de dados existentes no servidor MySQL. 

3. Criação de tabelas 

Antes de criar uma tabela, o usuário deve selecionar o banco de dados desejado. Isso pode ser feito com o comando: 

USE meu_banco_de_dados; 

A criação da tabela é feita por meio do “CREATE TABLE”, especificando o nome da tabela e, em seguida, as colunas e os tipos de dados para cada coluna. Por exemplo, para criar uma tabela chamada “clientes” com duas colunas, “id” e “nome”, execute o comando: 

CREATE TABLE clientes ( 

id INT, 

nome VARCHAR(50) 

 )

Nesse exemplo, “id” é uma coluna do tipo INT (número inteiro) e “nome” é uma coluna do tipo VARCHAR (string de caracteres) com um limite máximo de 50 caracteres. 

Após executar o comando, a tabela será criada no banco de dados especificado e pode ser verificada com o comando “SHOW TABLES;”, que mostrará as tabelas existentes no banco de dados. 

4. Inserção de dados 

Para inserir dados em uma tabela do MySQL, selecione o banco de dados onde a tabela está localizada e utilize o comando SQL “INSERT INTO” seguido do nome da tabela e das colunas nas quais os dados serão inseridos. 

Em seguida, especifique os valores a serem inseridos para cada coluna. Por exemplo, em uma tabela chamada “clientes” com as colunas “id”, “nome” e “idade”, os valores 1 para “id”, ‘João’ para “nome” e 25 para “idade” podem ser inseridos com o comando: 

INSERT INTO clientes (id, nome, idade) VALUES (1, ‘João’, 25); 

5. Atualização de registros 

Após inserir novos dados, é importante atualizar o registro. Isso pode ser feito com o comando “UPDATE” seguido do nome da tabela, cujo as colunas e valores devem ser atualizados. 

Em uma tabela chamada “clientes” com as colunas “id”, “nome” e “idade”, a atualização do nome de um cliente com um determinado ID, pode ser feita com o seguinte comando: 

UPDATE clientes SET nome = ‘NovoNome’ WHERE id = 1; 

6. Exclusão de registros 

Para excluir registros, use o comando SQL “DELETE FROM” seguido do nome da tabela. Utilizando o mesmo exemplo anterior, um cliente pode ser excluído com o comando: 

DELETE FROM clientes WHERE id = 1; 

Tenha cuidado ao excluir registros, pois essa operação é irreversível e os dados excluídos não podem ser recuperados. Certifique-se de fornecer as condições corretas na cláusula “WHERE” para evitar a exclusão incorreta de registros indesejados. 

7. Consultas básicas 

As consultas básicas podem ser realizadas com o comando SQL “SELECT”, acompanhado das colunas que devem ser recuperadas. Para retornar todas as colunas, o caractere coringa “*” pode ser utilizado. Para retornar todas as colunas da tabela “clientes”, execute o comando: 

SELECT * FROM clientes; 

Para consultar apenas colunas específicas, os nomes das colunas devem ser listados separados por vírgulas. Por exemplo, para retornar apenas as colunas “nome” e “idade”, use o comando: 

SELECT nome, idade FROM clientes; 

8. Filtro de resultados 

Escreva sua consulta SQL utilizando a cláusula “WHERE” no comando “SELECT” para filtrar os resultados. Na tabela usada como exemplo, para filtrar apenas os clientes com idade acima de 30 anos, execute a linha abaixo: 

SELECT * FROM clientes WHERE idade > 30; 

Os operadores lógicos. como “AND” e “OR”, podem ser usados para combinar várias condições na cláusula “WHERE” e refinar ainda mais os resultados da consulta. 

9. Ordenação de resultados 

A cláusula “ORDER BY” permite especificar uma ou mais colunas pelas quais os resultados serão ordenados. Para ordenar os clientes pelo nome em ordem alfabética crescente no exemplo citado anteriormente, execute o comando: 

SELECT * FROM clientes ORDER BY nome; 

Para obter os resultados em ordem decrescente, adicione a palavra-chave “DESC” após o nome da coluna, como abaixo: 

SELECT * FROM clientes ORDER BY nome DESC; 

Os resultados podem ser ordenados também por múltiplas colunas. Basta listar as colunas na cláusula “ORDER BY” separadas por vírgulas, indicando a ordem de classificação para cada uma delas. 

10. Importação e exportação de dados 

No MySQL, os dados podem ser importados e exportados usando várias abordagens, como por exemplo comandos SQL, utilitários da linha de comando ou ferramentas gráficas. Para exportar dados de uma tabela, pode ser usado o comando SQL “SELECT … INTO OUTFILE”, como exemplificado abaixo: 

SELECT * INTO OUTFILE ‘/caminho/do/arquivo.txt’ FROM tabela; 

Já para importar dados de um arquivo, é utilizado o comando SQL “LOAD DATA INFILE”: 

LOAD DATA INFILE ‘/caminho/do/arquivo.txt’ INTO TABLE tabela; 

11. Backups e restaurações 

Realizar backups e restaurações no MySQL é uma prática importante para garantir a segurança e a disponibilidade dos dados. Para fazer a cópia de um banco de dados, execute o comando “mysqldump”, a partir da linha de comando do sistema operacional. Por exemplo: 

mysqldump -u usuario -p nome_do_banco_de_dados > backup.sql 

Para restaurar o backup, crie um banco de dados vazio com o SQL “CREATE DATABASE”: para criar um novo banco de dados. Por exemplo: 

CREATE DATABASE nome_do_banco_de_dados; 

Depois, utilize o comando “mysql” executado a partir da linha de comando do sistema operacional: 

mysql -u usuario -p nome_do_banco_de_dados < backup.sql 

Este guia apresentou uma introdução completa sobre o MySQL e suas principais características. Explore suas funcionalidades e experimente diferentes casos de uso para aproveitar todos os benefícios que a ferramenta tem a oferecer. 

Como garantir performance e escalabilidade no banco de dados? 

Seja para aplicativos web, sistemas corporativos, aplicações móveis, data warehousing ou gerenciamento de conteúdo, o MySQL é a opção mais popular e adequada para atender às suas necessidades.

Os recursos avançados do Servidor VPS oferecem a estabilidade, confiabilidade e flexibilidade para lidar com grandes volumes de dados e um alto número de conexões simultâneas. 

Saiba mais sobre as especificações do servidor VPS Locaweb.

Saiba mais